Sua melhor fonte sobre Hilary Duff no Brasil
15 mar 2017

NEWS: Hilary Duff é capa da RedBook de Abril!

Em sua segunda capa de revista este ano, Hilary estará nas bancas americanas estampando a edição de Abril da revista Redbook.

Confira abaixo a entrevista completa, scans e fotos oficiais do ensaio:

PHOTOSHOOT

SCANS

ENTREVISTA TRADUZIDA

Recentemente, Hilary começou a fazer uma lista diária de gratidões em um caderno. “Estou um pouco viciada,” admite a atriz e cantora, 29, durante um almoço descontraído em Studio City.  Boa parte dos itens de sua lista são sobre Luca, seu filho de cinco anos cuja custódia ela divide com o ex-marido Mike Comrie. “A última foi, ‘me sinto grata pelo jeito que Luca anda’“.

Esse diário é apenas uma das tentativas de Hilary de equilibrar trabalho, família e tempo para ela mesma. “Quanto mais velha fico, mais confortável me sinto para relaxar. Não preciso me atarefar de coisas todo dia porque posso e porque sou capaz. Eu trabalhei minha vida toda!”. Isso não é exagero: Hilary tem trabalhado desde os 6 anos de idade, quando dançou em uma companhia de ballet e começou a aparecer em comerciais de TV. Dois anos depois, ela se mudou do Texas para Los Angeles, crescendo em sets de gravação como o da série Lizzie McGuire, do Disney Channel. Ela também gravou cinco álbuns em estúdio, e neste mês de abril começa a gravar a quarta temporada da série Younger, da Tv Land.

Mesmo assim, apesar de anos e anos sendo o foco das atenções, ela é estranhamente muito pé no chão e, francamente, super amigável. Hilary foi sincera sobre os recentes altos e baixos que a tornaram mais forte e a ensinaram a se permitir não fazer tudo. Se você pode aprender algumas lições sobre como respirar na sua vida, comece aqui.

RB: Tantas mulheres sofrem tentando fazer tudo. Você definitivamente está cheia de coisas: Está gravando álbuns, gravando uma série, é mãe solteira.. Às vezes parece ser coisa demais?
HD: 
Eu sempre me sinto triste ou culpada sobre algo. Apenas tentando equilibrar a vida, sabe? Trabalho, amigos, ex, família, maternidade. Eu não estou trabalhando agora e, no primeiro momento, me estressei com isso, tipo, ‘Eu não deveria ficar parada por tanto tempo’. E isso é ridículo. Eu tenho um filho, é totalmente aceitável não estar trabalhando o tempo inteiro. Eu posso levar e buscar o Luca na escola. É muito bom não estar na programação de ninguém, além da do Luca. Sou basicamente a motorista dele.

Por que você acha que nós, mulheres, colocamos tanta pressão em nós mesmas?
HD: 
Acho que é por causa da competitividade com outras mulheres. Talvez tenha a ver com ter controle das coisas, também. Precisar de tudo funcionando, para sentir que está tudo leve. E ser julgada porque não somos boas em algo ou não conseguimos fazer algo tão rápido. É muita pressão desnecessária.

Você sente mais pressão de você mesma ou de fora?
Eu me julgo mais. E às vezes sinto que até os julgamentos de fora são inventados por mim, por estar sendo muito sensível. Quando começo a pensar, eu percebo, ‘Ah, talvez não seja isso que eles queiram dizer..’.

Mas recentemente você ficou um pouco furiosa no Instagram após postar uma foto beijando seu filho.
Aquilo foi ridículo. Você consegue se imaginar não beijando seu filho? É, eventualmente isso vai acabar. Mas ele tinha 4 anos! E se você não gosta, me dê unfollow. Quem tem tempo de comentar em fotos de pessoas que não conhecem? Eu não tenho.

E claro que muitos julgamentos acontecem na vida real também..
Eu julgo outras mães o tempo todo. Eu julgo! Eu estava no mercado ontem e uma mãe estava com um bebê recém-nascido – bem recém-nascido – sem touca. E estava super frio. Eu fiquei tipo, ‘Por que ela não colocou uma touca na cabeça desse bebê?’ E isso não é nada da minha conta.

Você disse alguma coisa a ela?
Ah, Deus, não! Não, não, não. Mas acho que é natural julgarmos.

Você acha que dará um irmão para Luca em breve?
Eu quero. Mas já superei o fato de que não terei um bebê de idade próxima ao Luca. Foi horrível quando todo mundo ficava falando ‘Quando você vai ter outro?’ E eu respondia ‘ Você sabe o que está acontecendo neste momento? Eu não vou ter outro filho.’ Você fica noiva e as pessoas já perguntam ‘Quando é o casamento?’ Você se casa e ‘Quando vem o bebê?’ Você tem um filho e ‘Quando vem o próximo?’

Não é? Por que não podemos ser feliz com o que temos?
Com essa aceitação de que ele não terá um irmão de idade próxima, eu comecei a aproveitá-lo muito mais. Estou apreciando o agora. Além disso, pode esperar: Eu provavelmente terei uma versão malvada minha da próxima.

Bem, as pessoas dizem que o segundo filho é difícil – não que ter um filho só não seja. Quando você se sente mais estressada como mãe?
Em uma viagem recente, ele perguntou centenas de vezes: ‘Já chegamos? Quando vamos chegar?’ Eu respondia: ‘Eu não sei. A mamãe está dando uma pausa. Sem mais perguntas.’ Coisas assim podem ser frustrantes, e você pensa: ‘Eu amaria emprestar você pra alguém por uns 15 minutos’

Como você encontra paz e calma no seu dia?
Eu deixo Luca na escola e vou para a academia com amigas. Tenho feito muitas atividades – eu vou a uma aula de de tricô onde as pessoas sentam, conversam e bebem vinho; é uma coisa tão de vovó para se fazer. Luca não gostou quando comecei a tricotar, porque eu me concentrava em outra a coisa sem ser nele. Alguns amigos meus dizem: ‘Deus, deve ser tão bom você ter um tempo do seu filho porque você compartilha ele’. Eu sou divorciada e isso é um saco. Bem, foi chato por um tempo. Agora é normal. Mas é verdade, eu tenho um tempo pra mim. Fiquei com Luca sem ajuda por algumas semanas quando Mike estava fora, quando ele chegou em casa eu falei ‘Ele é todo seu, tchau!'”.

Qual sua melhor dica para deixar a relação com o pai do seu filho tão leve?
Honestamente, de todo o coração: Pense no seu filho. Deixe o parceiro completamente fora de questão. E terapia. [risadas] Terapia tem me ajudado muito.

Você recentemente rompeu o namoro com seu ex namorado e personal trainer Jason Walsh. Por quanto tempo vocês ficaram juntos? E como funciona apresentar o Luca a alguém?
Foi por um bom tempo – mais tempo do que as pessoas imaginam. Jason está na minha vida há um bom tempo, então Luca já esteve com ele. Nós começamos a ter mais jantares, ou Jason ia até a minha casa para brincar, mas nunca dormiu lá. É uma linha tênue bem assustadora porque eu não quero que Luca sinta que aquela pessoa não faz mais parte da vida dele. Eu ainda falo com Jason, mas não treino mais na academia dele. O término foi difícil porque foi um relacionamento importante para mim.

O que fez ser tão especial?
Foi o primeiro relacionamento sério depois de Mike que me fez sentir muito. Eu tinha colocado tantas coisas na frente disso por tanto tempo, que foi bom acordar esse lado de novo. Eu fiquei tão preocupada por tanto tempo – e ainda estou, claro – sobre como Luca ficaria, sobre como nossa família ficaria, sobre como Mike eu ficaríamos. E aí depois vinha eu. Apenas senti aquela faísca novamente.

O que você aprendeu sobre você mesma durante o divórcio e seu recente relacionamento?
Eu percebi o quão independente e forte eu sou. Eu ainda tenho esperanças de me apaixonar por alguém – eu não sou apática aos homens. Eu também aprendi como é importante estar feliz consigo mesma. Você não quer despejar todas as suas bobagens na mesa. Algumas coisas, tudo bem, mas não tudo.

Então, quando você sai agora, você procura por alguém?
Não. Eu nunca acho que ser solteira é horrível até sair em LA com minhas amigas e as opções serem terríveis. Eu nunca saio procurando. E todas as pessoas que chegam e falam comigo são, normalmente, bem mais velhas. Eu realmente atraio os homens velhos!

Engraçado! Ultimamente, porém, você acha que acabará com alguém mais jovem, mais novo, ou da mesma idade?
Acho que mais velho. Eu faço tricô e vou dormir às 21h, então.. [risadas] Eu acho que mais velho.

O que mais te irrita nas paqueras/namoros?
Eu não suporto pessoas que tentam me impressionar. Eu fui a um encontro com um cara que falava: ‘Ah, meu Deus, você nunca esteve em Tel Aviv? Precisamos ir em Tel Aviv. Só esteve no Napa uma vez? Vamos lá este final de semana.’ Eu não preciso que você me leve a lugar algum! Nós podemos sentar no sofá e ter uma boa conversa. E eu odeio placas de carro personalizadas.

O que um cara precisa ser para namorar você?
A pessoa tem que saber que Luca está em primeiro lugar; isso é super óbvio. Mas além de ser uma mãe divorciada, eu não tenho muitas coisas. [risadas] Tem que ser a pessoa certa para fazer com que eu perca meu tempo. Acho que isso tem a ver com o fato de eu ter minha própria casa, uma boa carreira, uma vida maravilhosa. Isso pode ser intimidador para alguns homens.

Agora que está no último ano com seus 20 anos, para o que você mais está ansiosa quando fizer 30 anos?
Eu tive meu aniversário de ouro no ano retrasado – 28 anos no dia 28 – e isso é, supostamente, pra ser um ano maravilhoso para você. Mas ter 28 anos foi ruim. 29 anos não foi nem bom, nem ruim. Então espero que 30 seja maravilhoso. Envelhecer realmente tem sido algo novo. Eu me pergunto se vou começar a ficar parecida com a minha mãe – que é bonita, então tudo bem. Mas eu percebo isso no meu rosto e no meu corpo.

Você ainda tem alguns meses pela frente, mas como está sendo essa véspera de 30 anos?
Me sinto muito bem. Não tenho muitos dias ruins. Algumas coisas podem me deixar com raiva, ou frustrada, mas acho que ter um filho realmente ajuda nisso. É difícil ter um dia ruim quando se tem um filho.

Muitas pessoas podem dizer o oposto.
Eu não quero que ele tenha um dia ruim. E não quero que ele sinta o meu dia ruim. Talvez tenha tido uns dois dias em que eu disse: ‘Luca, mamãe está triste agora’, ou ‘Mamãe está frustrada, preciso de um minuto.’ Eu tento manter tudo positivo.

O que te deixa frustrada?
Que tirem vantagem de mim. Eu confronto. Sem brincadeiras. Sou mais petulante do que pareço. As pessoas se surpreendem. Às vezes também me surpreendo. Eu penso, ‘Ahhh, essa foi boa!’ Você não pode deixar todo mundo feliz. Você não pode ser amiga de todo mundo.

Há tantos tipos de mães – a mãe helicóptero, a mãe tigre, a mãe ‘free range’. Que tipo de mãe você é?
Sou uma mistura. Um quarto helicóptero, um quarto tigre, um quarto free range.

Só tem três quartos.
O resto ainda é um mistério. Um quarto de amorosa? Mais de um quarto de amorosa.

Certo, metade amorosa. E um terço dos outros tipos? Ou.. Essa matemática é muito difícil.
Eu sei. Desistente da terceira série aqui. Fiz GED com 16 anos, mas acho que seria mais confiante se tivesse estudado normalmente. Eu sou muito inteligente, mas a confiança não existe.

Quando você se sentiu super confiante recentemente?
Quando fui pescar com lança no México. Tive que mergulhar 25 pés. É tão difícil. Me senti mal da primeira vez que peguei um peixe. Mas nosso guia disse, ‘Hilary, todo mundo que trabalha neste hotel diz: Pedro, tem algum peixe sobrando que possa levar para casa? Todo dia, há a necessidade por comida. Não será desperdiçado. Sem piedade.’ Eu respondi, ‘ok’. E aí ele disse: ‘Sem piedade’. Eu disse: ‘Sem piedade’, e voltei para a água. Foi radiante.

Já pensou nisso desde então? ‘Sem piedade’?
Ah, sim. Isso me afetou totalmente. Nos sentimos mal pelas pessoas, como mulheres; não queremos machucar ninguém. Mas não podemos ser assim!

Se tivesse que dar uma palavra tema para a sua vida este ano, qual seria?
Acho que estar contente. Esse é o caminho que tenho seguido nos últimos meses. Sentir que eu tenho o bastante e que sou o bastante, e tudo é o bastante. E agora tenho que trabalhar nisso!

Tradução Equipe HDBR

Postado por: Vic
Categoria: Notícias

Comentários