Sua melhor fonte sobre Hilary Duff no Brasil

Espaço do Fã

Aqui ficarão os depoimentos dos fãs contando “Como foi conhecer Hilary Duff?”. Mande o seu também com sua foto para o e-mail contato@hilaryduff.com.br! Compartilhe este momento tão especial com outros fãs!

E de repente, tudo o que há 10 anos era uma brincadeira, uma admiração platônica, algo inalcançável e impossível, apenas uma música com clipe e refrão viciantes virou amor, virou respeito, virou um sonho mais forte, um sentimento. Em 2008, vi meu sonho ir abaixo, quando perdi o que eu achei que seria a única oportunidade de viver esse sonho. Disseram inúmeras vezes que eu não conseguiria, que era algo impossível e além de acreditar, eu via meu sonho correndo pelas minhas mãos e cada vez mais platônico, mais impossível…… Quando de repente, dia 04/09 eu vejo esse sonho se realizando, após um dia agitado e 10 anos de desilusões. Obrigada por me fazer acreditar novamente, obrigada por me mostrar que por mais que digam, tudo tem seu tempo, e o que é pra ser será, obrigada por me mostrar que sonhos se tornam verdade, obrigada por me ensinar que quando há amor, não importa quantas décadas se passem, o amor e a emoção são as mesmas (até mais intensas). Obrigada por mostrar que por mais que haja certa perfeição e certa fama, nada disso importa se seu coração for bom e se você for simples e humilde. Obrigada pelas palavras doces, gestos sinceros, por me fazer acreditar cada vez mais, obrigada por ter me mostrado que existe amor sim, e que ele é grande até demais. Obrigada por ter irradiado tamanho amor e paz, obrigada por ser tudo e uma grande inspiração. Sei que já te disse isso hoje, e que você ouviu, mas eu te amo Hilary Duff. (Por Paula Felix – @PaulaFelixx)

—-

Depois de muito sacrifício (não vou contar a história toda porque é muito grande) consegui ir no estande da iD pegar a senha da sessão de autógrafos e depois corri logo pro Conexão Jovem pegar a senha.. Consegui as duas senhas e logo depois teve o Conexão Jovem, onde a Hilary olhou pra minha blusa (que tava escrito I <3 Hilary), apontou e fez um coração com as mãos. Depois um membro da HDBR (Hilary Duff – Brasil) pegou o microfone e disse que os fãs tinham preparado um presente pro bebê dela, e ela achou super fofo e deixou entregar, então o Ryan veio do meu lado pra pegar o presente e eu entreguei na mão dele. Na hora que ela foi embora, levantei do meu lugar e ela pegou na minha mão e olhou dentro dos meus olhos, depois disso corri pro palco e bebi a água do copo dela e peguei o copo que ela bebeu.
Na hora da sessão de autógrafos, mudaram o local de entrega das senhas na última hora e teve uma correria danada, pelo menos eu consegui ficar na frente da fila.. depois de uns 40 minutos em pé esperando, começaram a chamar as pessoas. Quando chegou a minha vez, eu fiquei sem palavras com a beleza da Hilary, ela disse “Hi”, eu sorri e depois ela disse “I saw your t-shirt earlier!”. Eu disse “You liked?” e ela “I loved! Thanks”. Logo quando ela falou isso eu entrei em desespero, comecei a chorar e a falar “Oh my God, you’re perfect, I love you so much” e ela olhou no fundo dos meus olhos e disse “Thanks, you’re pretty!”. Fui pegar na mão dela e começaram a falar “não, não, não”, nisso a Hilary estendeu a mão pra eu pegar na mão dela. Tentei abraça-la e novamente falaram “não, não, não” e novamente ela estendeu os braços e eu dei um abraço dela. Super carinhosa, simpática, sorridente, cheirosa, linda, perfeita! Valeu muito a pena ficar 12 horas em pé pra conseguir isso, foi o melhor dia da minha vida! (Por Aline Rodrigues – @lilikkk)

Gente, conhecer a Hilary foi simplesmente INESQUECÍVEL! Valeu a pena esperar 9 anos por esse momento mágico, rápido, mas mágico hahahahhaha! Fiquei tão nervosa que não consegui nem falar meu próprio nome!!!! Soltei uma pérola (Can I hug you? I won’t SMASH your baby, i PROMISE!! Traduzindo: Posso te abraçar? Eu não vou ESMAGAR seu bebê, eu PROMETO!!! HAHAHAHAHAHHAHAHAH)! Apesar de não ter conseguido falar nada do que eu planejei durante 9 anos, eu nunca esquecerei esse lindo momento! Todo o  esforço valeu a pena (L). (Por Ana Beatriz Cantuaria – @biacantuaria)

Bom, vamos lá registrar esse momento único da minha vida!
Primeiramente, conheci pessoas maravilhosas na fila!…  Amei o Éder do HilaryDuffBR e fico feliz por sempre ajudar, como eu posso, o site!!
Perdi a conta de quantas vezes eu sonhei com a Hilary… e HOJE esse sonho se realizou!! Na hora em que eu a vi, perdi todos os meus sentidos, não conversei muito com ela, mas tenho certeza que ela viu pelos meus olhos tudo o que não pude dizer!! Fiquei tão nervosa que nem lembro do FLASH! Tô morrendo de medo da minha foto sair feia! 
A Hilary simplesmente é maravilhosa e parece uma bonequinha! *-*
Só sei que não vejo a hora de sentir esse friozinho na barriga e vê-la de novo no BRASIL! 
REALMENTE EU AMO ESSA MULHER! (Por Maryana Ishi Mello – @maryanaishi)

Se eu fosse contar tudo que eu realmente passei no dia ia demorar MUITO, então eu vou tentar resumir o máximo do máximo, porque realmente, Deus me ajudou muito a realizar meu maior sonho!

Cheguei na Bienal com umas amigas por volta das 8:00 da manhã, enfrentamos aquela fila lá fora e finalmente depois de um tempo conseguimos entrar e nos dividimos na hora da correria de ”quem vai pra fila da conexão e quem vai pra fila da sessão de autógrafos”. 

Duas amigas minhas foram pra fila da conexão e eu e mais uma amiga (essas amigas só foram pra me ajudar, não são fãs), fomos pra fila dos autógrafos. A fila da conexão não tinha absolutamente NINGUÉM, tanto que essas minhas amigas que foram pegar lugar lá foram no máximo (eu não lembro ao certo) as décimas da fila, afinal, todo mundo tinha corrido pra de autógrafos. Já a de autógrafos tava LOTADA, certamente, tinham mais de 300 pessoas na minha frente.

Deixei uma menina que eu conheci na fila dos autógrafos e fui pra conexão que já havia lotado e ia abrir em minutos pra liberação de senhas, peguei minha senha e depois voltei pra de autógrafos. As 300 já tinham sido entregues e muitas pessoas já haviam perdido as esperanças, saindo da fila. Eu não podia perder a esperança, era meu maior sonho, eu precisava daquilo. 

Mas depois de MUITO tempo, eu sai dali e sentei no chão da bienal, desabando em lágrimas, não acreditando no que eu ia perder, tudo bem, eu ia ve-la na conexão, segunda fileira, bem pertinho, na frente dela, mas não era a MESMA coisa do que abraçar e ter um autógrafo + foto. Então ainda não acreditando, chorei durante muito tempo, chamando atenção da tv globo que me entrevistou e do jornal globo (a repórter era um fofa e quis me ajudar ao máximo, mas acabou não podendo fazer nada) e fiquei ainda ali, realmente passando mal.

Do nada, veio um menino muito simpático com a namorada, me chamou no cantinho e perguntou: ”Você quer a senha? ” e eu não tava acreditando no que eu tava ouvindo. ”Quero, mais que tudo”- eu respondi gaguejando. – ”Quanto você dá por ela?” Ele perguntou, e eu respondi: ”Tudo que eu tenho na carteira, 100,00.” e ele disse: ”Eu só quero 50,00, pode ser?” E eu não conseguia nem pegar o dinheiro direito. 

Quando ele me entregou a senha, eu a segurava com tanta força que tava até com medo de rasgar o papel, não parei de olhar pra ela se quer um segundo!

Mas agora….. como foi conhecer Hilary Duff:

Quando eu passei pelo primeiro segurança brasileiro na fila, eu comecei a tremer, ter vontade de fazer xixi, todos aqueles sintomas óbvios que surgem com 5 minutos de antecedência…. Fiquei conversando com a produtora brasileira dela, ela tentando me acalmar, tentando fazer com que as lágrimas que estavam prestes a cair, se recolhessem… Então dei uma espiada na porta e vi Hilary autografando o livro de uma menina com aqueles cabelos no rosto. Não me contive, todas aquelas lágrimas caíram sem eu se quer fazer algum esforço, e eu tentava me controlar, tentava mais que qualquer coisa.

Faltava apenas uma menina na minha frente, a próxima era eu, e eu precisava me conter, precisava! Foi quando o segurança dela me viu descontrolada e tentou me controlar… Rs

E assim que ela acabou com a menina da minha frente, fez um sinal de ”vem” com a mão pra mim e eu fui, andando totalmente errado, não conseguia ir em linha reta.

A primeira coisa que eu disse MUITO baixinho, foi: ”You’re not real”. E ela escutou e respondeu: ”Sim, eu sou, toca! ” E apontou o braço pra eu tocar, brincando e rindo. LINDA!

Estiquei minha mão com o livro, sem falar nada, não saia, tudo que eu planejei horas antes, não existiam mais na minha memória. 

”Qual seu nome?” – Ela perguntou.

” Stéphanie, mas meu apelido é Tefy” e ela respondeu: ”Owwwnnnn sweet, ”tefy” ” – com a voz mais fofa e delicada do mundo, os olhos dela brilhavam! E então escreveu Tefy em meu livro!

Ai eu me toquei que eu precisava dizer alguma coisa, precisava sair! ”Eu te amo muito, muito, muito mesmo, obrigada por tudo que você fez e faz por mim em tantos anos sem nem me conhecer, apenas como uma fã. Você é minha inspiração” – Eu disse gaguejando e embolando tudo, mas ela entendeu.

”Owwwn sweet, me too! Don’t cry!” – Ela respondeu olhando nos meus olhos ainda sem ter autografado, vendo meu estado visivelmente muito mal. E então esticou a mão quando entrei minha carta e disse: ”Brigada querida, vou ler com carinho! ” , foi quando ela levantou, me abraçou (FOI O MELHOR ABRAÇO DO MUNDO), e depois de um longo abraço (eu não conseguia solta-la), ela disse: photo photo photo.

Eu mal tive tempo de olhar pra camera direito e o fotógrafo tirou… E então eu disse:” Você vai ser a melhor mãe do mundo, tenho certeza.” e ela respondeu: Se Deus quiser! sorrindo com o sorriso mais lindo do mundo.

Quando ela sentou de novo, perguntou: ”Qual o seu perfume? É muito bom”. E eu ainda sem acreditar que estava na frente daquela mulher respondi, ”Tommy”… E ela disse: ”Huum, vou comprar” e riu.

Quando eu finalmente me toquei que já havia acabado o melhor momento da minha vida, pedi um outro, o último abraço.

”Posso te abraçar mais uma vez? A última? – Perguntei.

E ela respondeu: ”Owwwn sweet, claro!” E eu abaixei até ela e a abracei, ai sim, desabei COMPLETAMENTE em lágrimas, mais do que já estava antes. Foi quando eu me toquei que havia acabado. E então passei as mãos nos cabelos macios dela, lindos, cheirosos e sedosos, e pedi três vezes desculpas. E ela disse: Don’t worry and don’t cry honey!

E eu falei: Você volta logo ? E ela respondeu por último finalizando: ”Logo logo”.

E então o segurança dela já foi me ”cercando” tentando ser simpático, mas meio sem coragem de cortar a minha felicidade, e depois até elogiou meu momento pra tentar me fazer sorrir, um fofo!

Mas conhecer a Hilary, foi o melhor momento de toda a minha vida, e eu ainda acredito, ela não é real, é um sonho, um anjo! Um anjo que não só está em minha vida, mas como na de todos nós pra nos iluminar e proteger!

Blonde angel Duff!!! We love you.  (Por Stéphanie Sani)

Cheguei lá as seis da manhã,e já tinha uma fila formada no pavilhão azul. Por sorte, consegui pegar minha senha, e o pingente. Vi também muitas meninas chorando ao não conseguirem pegar a senha. Havia uma multidão em volta da editora ID, onde Hilary daria os autógrafos. Mas, as duas e meia da tarde, todos souberam que os autógrafos seriam no auditório, inclusive onde Hilary já teria passado. Quando eu cheguei lá, havia algumas fãs que tinham visto Hilary passar, por isso estavam chorando. Também vi vários seguranças parados na porta. Logo, uma fila que ia até o final da bienal se formou por causa dos autógrafos. Não fui uma das primeiras, mas não enfrentei tantas pessoas como esperava. Na fila, conheci três fãs que vieram de São Paulo, e chegaram aqui ás 5hrs para ver ela, e eles também iam amanhã ao Morumbi, onde entregariam o fã book para Hilary. Quando chegou a minha vez, eu fiquei tão eufórica que nem conseguia direito ouvir as expicações do guarda. Porém, era proibido tirar fotos ou filmar, o própio fotógrafo já iria divulgar as fotos no site. Quando entrei na sala, vi Hilary e fiquei chocada. Ela era muito mais linda pessoalmente. Ela perguntou como se pronunciava meu nome, mas eu estava imóvel, e falei até que meu nome era Guliana (risos). Depois, Hil perguntou se eu queria tirar uma foto e eu só fiz que sim com a cabeça. Ela ainda me chamou de fofa! Realmente achei Hilary muito simpática e atenciosa com seus fãs. Com certeza, valeu a pena todo o meu esforço! (Por Juliana Borges – @julliebc)

Esse foi o melhor dia da minha vida! Eu nunca mais vou esquecer. Faz 5 anos que eu amo ela demais, de um jeito que não consigo explicar.
 Quando eu cheguei umas 9:45 no Shopping Morumbi, eu vi aquela fila gigantesta, eu comecei a chorar por dentro, porque eu pensei que eu não ia conseguir, mas meu numero era 243. Quando chegou a minha vez de pegar a senha eu parei na frente do guarda e ele disse pra mim e meus amigos “Parabéns vocês tem muita sorte, porque só tem mais 50 senhas”. Quando eu peguei na mão foi incrível!!
Quando Hilary me viu ela disse “I LOVE YOUR T-SHIRT”, era uma blusa bege com um coala super estilosinho e eu “THANK YOU”. Eu entreguei meu cartão pra ela e ela “THANK YOU VERY MUCH”. Eu fiquei tão besta que de tudo que eu queria dizer (há muito tempo) eu disse   (gaguejando e soluçando muito) quando ela estava assinando o meu livro foi ” YOU ARE VERY BEAUTIFUL!” Ela agradeceu. E fez uma cara super fofa! Quando ela me entregou o livro eu disse super soluçando “I LOVE YOU SO MUCH” e ela “OWNNN, THANK YOU” e me abraçou eu fiquei ali e não queria soltar mais. 
Ela é tão perfeita que não consigo nem explicar! Enfim, foi muito maravilhoso aquele momento e significou demais pra mim! Eu daria tudo pra ter mais um momento como aquele com ela!! OBRIGADA POR TUDO HILARY, EU AMO VC!!!! (Por Carolina Barbolo – @Cah_offspring)

Faziam nove anos… Nove anos de pura esperança, nove anos de ansiosidade, nove anos esperando pra ver a mulher da minha vida. Nove anos em que eu acompanho a carreira da Hilary, nove anos em que eu venho a admirando cada vez mais, a cada gesto que ela faz, acho até que já de amá-la tanto, eu já sou apaixonada pelo filho/filha que vai nascer! Tudo comecou quando eu estava sentada, vendo sessão da tarde na globo, e estava passando ”Casper meet Wendy” e eu achei a menininha linda, depois eu estava assistindo Lizzie McGuire na disney channel, e vi que era a mesma pessoa, e então eu comecei a ver todos os dias, e a cada dia eu ia me viciando ainda mais, quando então, os filmes vieram, os cds foram publicados, e eu fui ficando viciada em uma pessoa que nunca me viu, que ao menos sabia quem eu era. Mas eu insistia nesse amor, um amor que antes era platônico, mas que hoje, é real. Posso até dizer que a Hilary fez parte da minha infância, adolescência, e vai fazer da minha fase adulta. Faço questão de mostrar aos meus filhos quem foi a maior ídola da minha época, quem foi/é a pessoa mais admirável do mundo. Eu até posso afirmar que a Hilary não é a única em que eu sou viciada, mas tenho certeza de que o amor que eu sinto por ela é maior do que eu sinto por qualquer outro famoso, de verdade. Desde de quando eu percebi que estava viciada nela, eu fui esperando pelo ano em que Hilary viria ao Brasil, e esse ano chegou… 2008, o ano em que a diva mais diva fez show no Rio de Janeiro, e estava tudo programado para eu ir, quando que chegou na época, tive uma viagem inesperada e acabei não indo, fiquei chatiadíssima, achando que eu nunca mais iria ter uma chance como essas, de ver de pertinho, a minha ídola. Chorei, chorei, que não parava mais. Eu comecei a ver esse amor em que eu dizia ser real, voltar a ser platônico, e cada vez mais e mais impossível de se tornar real. Mas a esperança é a ultima que morre! Em 4/09 tudo o que eu achava ser impossível, se tornou mais possível ainda. Em 4 de Setembro de 2011, vi a minha diva pela primeira vez, e ainda vi melhor do que eu teria visto se tivesse ido ao show em 2008. Cheguei na Bienal as 9h30 da manha, e entrei sem precisar enfrentar filas, fui uma das primeiras a pegar a senha do autografo, e uma das primeiras a pegar a senha da palestra. Eu não conseguia acreditar que meu sonho estava se tornando realidade, nem se passava pela minha cabeça que isso um dia iria acontecer. Vi a palestra, chorei muito, fiquei mais apaixonada. As 15h30 da tarde, enfrentei a maior e mais importante fila de todas, foram exatamente 4 horas, em pé, esperando pra minha a Hilary. Quando chegou minha vez, eu fiquei sem reação, achei que não ia saber o que fazer e nem o que falar. Entrei no auditório, com o joelho machucado ainda por cima, e a linda da Hil perguntou o que tinha acontecido numa voz linda e tão preocupada! Depois de ela ter autografado meu livro, eu lhe pedi um abraço, e ela me deu o abraço mais gostoso que já recebi em toda minha vida. Chorei, e ela, fofa como sempre, enxugou minhas lágrimas e disse pra eu não chorar por que se não ela choraria também <3 Fiz questão de dizer que meu aniversário seria em 9 dias, e ela me desejou parabéns! Tirei a foto mais perfeita do mundo, aquela foto que irei guardar pro resto de minha vida! Enfim, vivenciei os melhores 3 minutos de toda a minha vida, e com certeza os mais bem aproveitados! Eu quero guardar esse momento pra sempre! E como ela diz ” In dreams and In love there are no impossibilities” !! (Por Ju)

Acordei 9h da manhã, só consegui sair de casa 10h (a bienal abria 10h e as senhas pra conhecer a Hilary seriam destribuidas 10h também). Eu tava muito triste com medo de não conseguir a senha e não conhecer a Hilary.
Cheguei lá umas 11h e tinha uma fila gigantesca pra comprar ingresso pra entrar na bienal. Meu pai foi entrando antes porque ele é professor e não paga. Ele foi até o lugar das senhas e tinham acabado. Eu começei a chorar lá fora… comprei o ingresso e entrei na bienal. Ouvi uma gritaria e sai correndo. A Hilary tava dando entrevista, acenou e tirou foto dos fãs. Eu começei a chorar mais ainda vendo ela. Ela tava MUITO linda, sem palavras. Encontrei o meu amigo Henrique que tinha conseguido a senha. Eu fiquei muito mal e não conseguia mais parar de chorar e soluçar. Não acreditava que não ia realizar o maior sonho da minha vida que eu esperei anos. 
Ai, to eu chorando com os meus pais, e chega uma moça e pergunta: “você tem senha?” eu: “não” ela: “você quer?” eu soluçando mais ainda: “Sim!!!!” ela: “aqui” eu: “aah serio? MUITO OBRIGADA” e chorei maaaaais ainda. EU IA CONHECER A HILARY DUFF!!!!!! não conseguia acreditar no que tinha acabado de acontecer. Uma moça me deu a senha dela pra eu realizar meu maior sonho. Surreal. 
Passou horas, encontrei a minha amiga Jade que eu tava morrendo de saudades. E depois, eu fui pra fila dos autógrafos. Depois de umas 2h, é a minha vez. Eu olho pra ela e vejo o quão linda e perfeita ela é. To morrendo e tremendo mais do que sei la o que. Entrego meu livro e mostro minha mão (tinha escrito meu nome nela pra Hilary escrever no livro haha) e falei: “that’s my name”. Enquanto ela escrevia eu fui falando: “I love you so much. Congrats for your baby” ela: “awwwww thank you!” com o maior sorriso olhando no meu olho. Eu continuei: “This is my biggest dream. You’re my inspiration” ela: “aww thank you!” eu morrendo. Ela acaba de dar o autografo e eu abraço ela e tiro uma foto. Ela: “hope you enjoy the book” eu: “this is the best book I’ve ever read” Ela abre um sorrisão e fala: “awwww thank you so much” e eu vou embora gritando “I LOVE YOU, I LOVE YOU”. 
Quando eu sai, eu começei a tremer, chorar e gritar. Eu tinha acabado de conhecer a pessoa mais perfeita do mundo. Tinha acabado de realizar o maior sonho da minha vida! Serio, foi perfeito. Não tenho palavras pra agradecer a Deus por esse oportunidade.   
A Hilary é muito linda, muuuito fofa e supeer simpatica. Serio, ela é um amor de pessoa. Não tenho palavras pra descrever o amor que eu sinto pela Hil <3  (Por Raquel Medeiros)

Eu nunca esperei tanto por um dia como esse! Sou viciadérrima pela Hilary Duff desde os meus 12 anos, em 2002, na estréia de Lizzie McGuire. Uma personagem, só uma personagem que me descrevia em todos os sentidos imagináveis. Me lembro até hoje quando eu comprei a primeira revista, o primeiro DVD, fiz o primeiro quadro para colocar na parede, da sensação que foi ver ela na TV pela primeira vez sem ser a Lizzie e a primeira vez que a ouvi cantar, da sensação do primeiro ingresso comprado (em 2006), do primeiro show cancelado (também em 2006), das 11 horas na fila pro show em 21/01/2008, e da 1 hora e meia mais perfeita do mundo. 
 É um amor indescritível, e eu acho que nunca vou conseguir encontrar palavras o suficiente para agradecer a essa grande mulher que mudou a minha vida inúmeras vezes. 
Foi ela que me acompanhou nos melhores dias da minha vida, foi ela que me tirou dos dias tristes, é ela que me faz sorrir todos os dias da minha vida. 
E quando a editora confirmou que ela viria para RJ e depois em SP, a espera para a realização de mais um sonho se tornou ETERNA! Foi o mês, as 10 horas de fila, mais longos da minha vida e o minuto mais rápido e incrível da minha vida.
A Hilary fez por mim, muito mais que um dia, nesses longos 9 anos eu imaginei que ela faria! Ela é incrivelmente linda, simpática, adorável, simples e absurdamente atenciosa. Por mais que breve, me deu o abraço mais gostoso que e sincero que eu senti na minha vida. Só quem é fã vai conseguir entender a emoção da realização de um sonho como esse! De todos os problemas que passam na minha vida ultimamente, o meu minutinho ao lado da Hilary me fez ver que ainda há motivos para a esperança, e que não podemos nunca desistir dos nossos sonhos. Um simples abraço mudou a minha vida completamente!
Conheci pessoas lindas, que me abraçaram quando eu tava chorando, e que se depender de mim, vão estar comigo pro resto da vida! Dia 05/09/11 foi o melhor dia da minha vida! (Por Aninha Pietscher)

04/09/2011 – This is what dreams are made of.

Esse foi, com certeza, o dia mais inesquecível da minha vida. Pra começar, eu nunca achei que eu iria REALMENTE ver a Hilary, mas era o meu sonho. Me lembro que eu estava no twitter, e me deparo com o search inteirinho falando da vinda da Hilary ao Rio de Janeiro pra participar da Bienal. Simplesmente não tive reação KK.Li e reli, e não acreditava no que eu tava vendo. Começou o surto e as noites sonhando com esse dia. Minha mãe sabia que isso era importante pra mim e, dessa vez, ela não impediu nada.

 As pessoas que fizeram esse dia ser mais lindo ainda, foram a Barbara e a Vicky. Duas lindas, donas do HilaryDuffBR, que me deram o papel de ‘fotógrafa oficial’ e me deram a chance de entrar na coletiva de imprensa. No dia anterior (03/09) tudo parecia começar a dar errado. A câmera, que era emprestada, não chegava nunca, me dei conta de que não tinha um cartão de memória com espaço suficiente, comecei a ficar com medo de chegar tarde e não conseguir senha e desabei. –s

No final, até as 22 horas já estava tudo pronto. Eu só queria saber de dormir pra chegar o dia seguinte mais rápido.

Botei meu despertador, e às 6 horas já estava de pé. Nunca, NUNCA, me levantei tão rápido às 6 horas da manhã de um domingo. Saí de casa, peguei mais 3 amigos, e partimos. Foram cerca de 40/50 minutos de tortura. Cheguei, e já vi uma fila bem grande do lado de fora do RioCentro. Procuramos a Kari linda e vimos o Fan Book, o caderno mais lindo e fofo que eu já vi rs. Até que, do nada, o portão de fora abre e todo mundo começa a correr e outra fila foi formada no gramado do RioCentro. A fila era GIGANTESCA e o meu medo de não conseguir só ia aumentando. Eram 300 senhas, e obviamente tinham mais de 300 pessoas naquela fila: http://i40.tinypic.com/2jcy8ar.jpg

Assinamos o Fan Book, tiramos algumas fotos da fila (http://i42.tinypic.com/9uyhwh.jpg) e ficamos lá esperando dar o horário de abrir o portão. Eram quase 9 horas da manhã, quando alguém empurrou o portão e abriu, antes da hora certa (k). O momento desesperador começou. A fila TODA começou a correr, todos tentavam passar por aquele portão. Fiquei esmagada, puxaram meu cabelo, chutaram meu pé, minha perna, puxaram meu braço. Foi terrível conseguir sair dali, mas finalmente saí e corremos e vimos que tinham várias bancadas aonde a gente formaria mais filas até dar a hora de realmente correr atrás da senha.

Bárbara me ligou, e disse que eu precisava pegar a credencial ou não entraria na coletiva. Eu estava simplesmente perdida dela, e não sabia aonde pegaria. E isso faltando menos de 10 minutos pra entrada ser liberada. Saí da fila correndo e, depois de tanto rodar aquilo, achei a Bárbara e fui pegar minha credencial. O sufoco foi saber qual era a minha fila no meio de TANTAS. Me perdi naquela multidão e depois de 5 minutos (sim, passei horríveis 5 minutos tentando achar uma mísera fila, se eu não achasse não iria conseguir a senha nem rezando). Finalmente achei a fila. Eu era a segunda da bancada do meio, que dava direto pro corredor imeeeeeenso que dava no estande da editora.

E a largada foi dada:

Depois daquela mulherzinha torturar a gente, a entrada finalmente foi permitida. Às 10 horas em ponto, a correria começou e eu não sabia que eu era capaz de correr tão rápido assim. Tinham vários seguranças tentando parar a gente de correr, e nenhum conseguiu me pegar, RÁ. Muita gente correndo atrás, comecei a ficar nervosa e não achava o estande. Detalhe que o estande estava bem grande do meu lado. Corri pra trás da grade e a fila definitiva pra senha foi formada. Me perdi de todos os meus amigos, minhas pernas estavam ACABADAS e eu estava passando SUPER, super mal. Mas dali ninguém me tirava. A fila começou a andar, E FINALMENTE EU TINHA MINHA SENHA EM MÃOS. Melhor sensação do mundo é saber que você vai realizar seu sonho em poucas horas.

Preparativos pra coletiva

Depois de pegar a senha, consegui achar a Bárbara e a Vicky e estavamos su-per nervosas pois a coletiva estava marcada para 11 horas. Infelizmente eu ia perder a senha pros dois debates, pois era na mesma hora da coletiva. Mas não me importei com isso. Vimos vários repórteres chegando e entrando no auditório. Falamos com a senhorinha, ela conferiu nossas credenciais e ficou meio ‘encucada’ de deixar a gente entrar, mas entramos. Sentamos na primeira fileira, que ficava a centímetros da cadeira da Hilary: http://i43.tinypic.com/2nrq980.jpg

A qualquer momento a Hilary entraria naquele auditório e nós três estávamos a beira de um ataque de nervos. A gente não podia nem surtar, senão tiravam a gente de lá.  Até que começou uma ‘muvuca’ no final do corredor, numa portinha. Quando eu me deparo, era o Ryan entrando, e consequentemente a Hilary estaria atrás. Era tudo o que eu precisava pra começar a desabar de vez. De repente eu vejo aquele cabelo loirinho, atrás do Ryan, entrando no auditório. A coisa mais linda do mundo, que eu só via por fotos e vídeos, era real e estava ali. Ela veio andando, passou na nossa frente, e subiu pro palquinho e se sentou: http://i42.tinypic.com/opwx1z.jpg

A essa hora minha mão já estava automaticamente tirando fotos e tremendo ao mesmo tempo. Eu não sabia se chorava, ria, tirava foto, tremia, desmaiava, ou olhava pra cara das meninas pra ver se eles estavam vivas rs. Ela se sentou ali, na minha frente, toda bonitinha. Se levantou pra posar para as fotos e eu arranquei forças e tirei as fotos. Ela estava com o livro da mão e quando eu me dei conta ela estava posando pra gente *———————* Quando ela viu que nós três éramos fãs, soltou o sorriso mais lindo e fofo dessa Terra. Foi a foto mais linda que eu já tirei em toda a minha vida: http://i43.tinypic.com/1693zol.jpg

Ela se sentou, as perguntas começaram. Na hora de responder sobre a história do livro, ela deu uma pausa e não sabia o que falar ASHUSAHUSAHUASHU as caras que ela fez foram hilárias. A Vicky conseguiu ser escolhida pra fazer uma pergunta pra ela. Ela disse que éramos do site oficial dela, e nesse momento a Hilary fez outra carinha fofa: http://i39.tinypic.com/168s6xy.jpg

Eu estava perplexa com tanta beleza em uma só mulher. A Vic perguntou o que ela achava da recepção da gente, e se ela esperava isso tudo. Confesso que não prestei atenção na resposta inteira, porque era IMPOSSÍVEL prestar atenção enquanto ela fazia as carinhas fofas dela. Depois dessa pergunta, a coletiva acabou. Foram cerca de 20/30 minutos. Ela desceu, passou na nossa frente novamente, e saiu da sala. Era o momento em que nós três começávamos a cair na real e surtar. A moça responsável pela coletiva disse que ela adorou a gente *-* A gente não queria sair daquele auditório nunca rs.

Preparativos para o ENCONTRO

Saímos da coletiva, e ficamos andando pela Bienal. O autógrafo era às 17 horas, e ainda tínhamos mais hoooooras de tortura. Começamos a ouvir gritaria e vimos uma correria imensa. Era a Hilary aparecendo pelo vidro de uma espécie de ‘sala para entrevistas’. Ela sorria e acenava e não acreditava na quantidade de pessoas gritando por ela. Alguns sites diziam que foram 2 mil pessoas no total, só pra ver a Hilary. Confesso que parecia ser mais do que 2 mil pessoas. Ela tirou foto da multidão, abismada, e saiu. Ela postou a foto no twitter, e dizia não acreditar, e que a multidão dava vontade de chorar *-*

Ficamos rodando aquela bienal inteira procurando o que fazer e tentando achar a fila certa para o autógrafo. Depois de várias filas erradas serem formadas, no final da tarde começou a correria para a fila certa. Era MUITA gente. Eu já estava mais calma por ter visto a Hilary na coletiva, mas o nervosismo cismou de aumentar de novo.

Depois de tempos e tempos na fila, a fila começou a andar. E quando a gente percebeu, já tinha gente saindo de lá de dentro chorando. Os autórafos/fotos já tinham começado e eu surtei internamente. Eram separados grupos de 5. Formamos o nosso grupo. Depois de mais minutos exaustivos, éramos o próximo grupo a entrar. Confiram nossa senha, e liberaram a entrada. Abrí o livro, peguei um papel alheio que me apareceu de repente, anotei meu nome e escrevi “I Love you” rs. Os seguranças começaram a falar que não seria permitida a entrada desses papeis. Já nervosa, rasguei o papel e comecei a pensar: Fudeu, não vou conseguir falar nada, ela não vai saber que eu amo ela, não vai escrever meu nome, e eu me suicido. Finalmente consegui ver a cabecinha da Hilary pela porta. Ela estava lá, graciosamente sentada, autografando, tirando fotos *-* Ela é simplesmente uma BONECA humana. Comecei a perceber que o pessoal estava sim levando papel com nome, e me desesperei, pois já tinha rasgado o meu por imbecilidade. Achei mais um papel na minha bolsa, mas me faltava a caneta. A fila andava e e eu era a próxima. Comecei a me desesperar e reclamar com a moça, que não tinha nada a ver com meu surto. Comecei a ‘gritar’, reclamando pois não era permitido papel, e eu tinha rasgado o meu. Deixei uma pessoa passar na minha frente e gritei por uma caneta. NÃO SEI COMO, mas o Ryan lindo fofo gordinho, viu que eu estava revoltada e pedindo por uma caneta. Ele pegou uma das canetas que a Hilary estava usando e me emprestou *-* Escrevi tudo de novo e larguei minha bolsa em algum canto daquele auditório.

Minha vez

Depois de todo o sufoco por uma caneta, era a minha vez.

Ok, eu já tinha visto a Hilary, já tinha passado 20 minutos tirando foto dela, mas o nervosismo parecia maior ainda. Nervosismo de fã definitivamente não tem fim. Me aproximei da mesa e ela me deu o HI mais LINDO E FOFO que eu poderia escutar. Eu fiquei sem reação, e não me dei conta que eu respondi em português. Ela pegou o meu livro, o papel, e começou a escrever. E eu simplesmente não conseguia falar nada, fiquei sem reação. Ryan estava falando comigo, e eu não estava prestando atenção. Quando me dei conta ele estava falando da minha blusa, e eu só consegui mostrar a blusa pra ele e ficar rindo igual uma besta. Rs Aquilo não parecia estar acontecendo. Ela acabou o autografo e tiramos a foto *-* Não sei como eu consegui olhar pra câmera certa. Não estava vendo mais ninguém ali naquela sala ao não ser ela e o Ryan. Percebi que não iria conseguir falar nada do que eu queria pra ela, e também não dava mais tempo. Me abaixei e dei um beijo na bochecha dela. Ela fez o AWN mais fofo DESSA TERRA e deu uma risadinha. Meu sonho naquele momento tinha se realizado. Eu finalmente cheguei perto daquela coisinha linda e grávida: http://i43.tinypic.com/6robpl.jpg

Pendurei o que restou do meu ingresso, da minha senha e da minha credencial na parede do quarto. http://i43.tinypic.com/2rcalj6.jpg

Pra mim era uma coisa que nunca iria acontecer. Me impediram de ir no show em 2008. As minhas esperanças eram mínimas, ainda mais depois dela ter dado pausa na carreira musical. Era um sonho distante e quase impossível. Mas graças a Deus, ela teve a sábia decisão de escrever esse bendito Elixir. Deixei de dizer coisas importantes pra ela, eu sei. Mas tenho certeza que ela sentiu o amor que eu tinha por ela. Foi o melhor dia da minha vida, melhor sensação. Hoje, tenho a certeza de que ela foi a melhor pessoa que eu poderia ter escolhido pra ser minha ÍDOLA.

Pra aqueles que não tiveram essa oportunidade, por favor, não percam as esperanças. Eu quase não tinha, e consegui chegar o mais perto dela do que o que eu poderia sempre ter imaginado. E é como a própria já cantou:No matter how your heart is grieving, If you keep on believing, The dream that you wish will come true! <3 (Por Luiza B.)

Finalmente chegou a minha vez. Logo que a Hilary se despediu da Loira, ela olhou pra mim, e eu olhei pra ela, olhei pro Ryan, que tava sorrindo e fez um sinal pra que eu fosse até ela. Fui até ela com o livro, minha carta e o fan vídeo na mão. Quando cheguei ela sorriu pra mim e disse “Oi!” e eu respondi já entregando o livro pra ela autografar (nós levávamos um papelzinho com o nosso nome dentro do livro pra ela dedicar, não esqueço dela girando o papelzinho com meu nome com os dedos indicadores, ohlord). Ela perguntou como eu estava, e eu disse que estava “bem” (bem não descrevia nada de como eu estava). Ela já começou a autografar e eu percebi que precisava falar, afinal, meu tempo estava correndo. Então eu a chamei pelo nome e não consegui falar mais nada, eu travei totalmente. Como ela percebeu que eu fiquei muda, ela parou de autografar e olhou pra mim, provavelmente pra ver se eu tinha algum problema mental ou sei lá, haha. Daí caiu a minha ficha e eu comecei a falar, agradeci por ela ter vindo, falei que tava muito nervosa e não sabia o que dizer porque eu tinha esperado tanto tempo… ela disse “Aww obrigada! Não fique nervosa!”, ela falava olhando nos meus olhos e sorria com a maior sinceridade do mundo. Quando ela terminou de autografar meu livro, eu entreguei o fan vídeo que levei em DVD, e falei: “Hilary, isto é um fan vídeo que nós fizemos pra você. Eu faço parte da maior comunidade sobre você do Brasil no Orkut e nós o fizemos para você. Eu o editei e gravei para que você assista. E a capa dele eu fiz com as fotos de todas as pessoas que participaram do vídeo.” Ela agradeceu e disse que adorou a capa, disse que havia ficado muito legal e mostrou pro Ryan. Eu disse que significaria muito para todos nós se ela assistisse ao vídeo, e ela segurou o DVD na mão direita, colocou a mão esquerda por cima da capa e me olhou com toda aquela sinceridade e agradecimento do mundo, e disse “E eu irei assistir sim, pode ter certeza disso. Muito obrigada!” Eu agradeci muito por isso e, sem eu ao menos esperar por isso, ela colocou o DVD na mesa e levantou, beijou a minha bochecha direita e me abraçou, agradeceu novamente e se sentou. Entreguei a minha carta, disse que lá tinha um presente (uma pulseira que ela usou depois! <3) e que eu esperava que ela gostasse. Mais uma vez ela agradeceu, levantou e me deu outro abraço, daí posamos para a foto. Quando ela se sentou, lembrei do meu amigo Pedro que estava devastado por não ter podido ir, e que me pediu um autógrafo. Nisso eu tirei um marcador de páginas de Elixir que estava no meu bolso e falei “Hm, Hilary, eu tenho um amigo que não pôde vir, e ele é muito fã seu… será que você poderia assinar isto para ele?”. Linda como ela é, disse que claro que poderia assinar, e perguntou o nome dele. Quando disse o nome ela ficou sem saber escrever, então eu soletrei. Nisso o Ryan perguntou se era “Petter” e eu disse que sim, que era Petter em português, e ele disse que também era em espanhol, eu concordei e sorri pra ele. Depois que ela assinou o marcador e me devolveu, eu agradeci e ela viu que eu ainda queria falar alguma coisa. E eu queria realmente, precisava falar da gravidez mas nem sabia como começar, então disse: “Hilary, sobre a sua gravidez (nesse momento a mulher abriu um sorriso que meu santo Deus, foi muito lindo)… eu fiquei tão feliz quando você anunciou que estava grávida, fiquei tão emotiva! Porque para mim é como se fosse alguém da família sabe?”. Nesse momento eu não consegui segurar o choro, comecei a chorar e ela ficou me olhando com uma carinha linda, com toda aquela sinceridade e amor que ela tem por nós fãs, e eu me perguntei o que eu fiz de tão bom pra merecer estar alicom ela. Jamais vou esquecer a carinha dela enquanto eu falava da gravidez, dava pra ver o quanto isso a deixava feliz. Os seus olhos estavam muito brilhantes e dava pra ver que ela também estava emocionada, e ela, com as duas mãos em cima da perna me disse: “Awwww muito obrigada!”. Então eu disse que amava muito ela, e que ela significava demais para mim. Então ela disse “Muito obrigada, de verdade.”, levantou, me deu outro beijooutro abraço e falou “Tchau” em português mesmo, quando ela foi sentar eu puxei ela pra mais um abraço, disse que ela era meu modelo de inspiração, passei a mão no cabelo dela e segurei o máximo que pude. Ela agradeceu novamente e eu percebi que era hora de soltar. Ela disse tchau e eu saí da sala desolada porque eu poderia passar o resto da minha vida naquela sala com ela.

(…)

Foi um dia e tanto, provavelmente um dos mais cansativos. Mas de uma coisa eu tenho absoluta certeza, foi o melhor dia da minha vida. Nada pode pagar o valor de um sonho realizado. Obrigada Hilary por ser quem você é, e por ter feito valer a pena tantos anos de espera e dedicação, é impossível ter mais orgulho de ser sua fã. Obrigada por ter sido tão atenciosa e perfeita comigo, eu te amo demais. <3

(Por Thais Jacob. Para ler a maravilhosa e emocionante resenha da Thais inteira, cliquem AQUI!)